As músicas do MAURITSSTADT

Conheça as músicas do álbum e os artistas envolvidos:

01. Forró Arengueiro – Tavares da Gaita / versão: Chico Correa
A faixa foi extraída do disco Sanfona de Boca, único gravado por Tavares da Gaita, um alfaiate, sapateiro e marceneiro de Taquaritinga do Norte, que se mudou para Caruaru em 1957 e ali começou a ficar conhecido também como músico. Ganhou fama também por sua habilidade na construção de instrumentos, que encantou artistas como Naná Vasconcellos. A versão de Forró Arengueiro foi entregue ao DJ paraibano Chico Correa, codinome de Esmeraldo Marques. O músico idealizou em 2000 a Chico Correa Eletronic Band, que logo chamou a atenção pela mistura de ritmos nordestinos e samples. Tanto que em 2002 a banda foi escalada para o Tim Festival, em São Paulo.

02. Rói Couro – SaGrama / versão: Hurtmold
Desde 1995, o grupo SaGrama põe em prática a proposta de utilizar a linguagem erudita para difundir a música popular pernambucana, com forte influência do Movimento Armorial. Com nove integrantes, e tendo à frente o professor, compositor e flautista Sérgio Campelo, o SaGrama já fez trilha sonora para vários espetáculos, para o filme O Auto da Compadecida, de Guel Arraes, e lançou sete álbuns. Rói Couro (Dimas Sedícias) é do álbum SaGrama. A banda paulistana Hurtmold, que faz a versão, esteve em atividade desde 1998 até recentemente. O quinteto formado por Maurício Takara, Guilherme Granado, Marcos Gerez, Mário Cappi e Fernando Cappi deixou em seis álbuns um rock pouco convencional, que passa pelo jazz, minimalismo, punk rock, funk americano e música eletrônica.

03. As Obras da Natureza – Zé de Teté / versão: Pupillo
De Passira (PE), Zé de Teté se dividiu por muito tempo entre a música e a profissão de barbeiro, que herdou do pai. Começou a se projetar como mestre de coco nos anos 1970, quando já morava em Limoeiro (PE). Em 2001, lançou o primeiro CD, feito com os próprios recursos. Mesmo sem ter nem o primário completo, Zé de Teté – que tem 74 anos – despejou sua admirável sabedoria e eloquência em mais de 200 composições, algumas delas gravadas em seus sete discos. As Obras da Natureza ganha aqui uma versão Pupillo, produtor musical e baterista.

04. Forró de Cambará – Luiz Paixão / versão: Yuri Queiroga
Mestre rabequeiro da Zona da Mata de Pernambuco, Luiz Paixão já trabalhou em colaboração com músicos como Siba, Mestre Ambrósio, Lula Queiroga e Nicolas Krassic. Brincante desde a infância, tem levado o cavalo-marinho, o forró, o maracatu e a ciranda a todas as partes do Brasil e também fez turnês pela Europa e Estados Unidos. Mas o primeiro disco, Pimenta com Pitú, só saiu em 2005. Em 2013, lançou o segundo, A Arte da Rabeca. Forró de Cambará é uma das faixas do disco de estreia e no segundo volume de Mauritssdatd é relida por Yuri Queiroga, multi-instrumentista e produtor pernambucano. É produtor do disco Qual o Assunto Que mais Lhe Interessa? (2007), lançado pela cantora Elba Ramalho, e que ganhou o Grammy Latino. Em 2015 formou o Frevotron, ao lado do maestro Spok e de DJ Dolores, que faz experimentos em frevo por meio de música eletrônica, guitarra e sax.

05. Olha o Mateus! – Orquestra Popular do Recife / versão: Buguinha Dub
Foi o escritor Ariano Suassuna que teve a ideia de criar uma orquestra que se dedicasse a tocar os ritmos tradicionais de Pernambuco. Assim, desde 1975 a Orquestra Popular do Recife leva maracatus, cocos, cirandas, reisados e caboclinhos aos festejos de todo o estado e país afora – atualmente sob regência do maestro Ademir Araújo. “É uma super referência, minha relação com a OPR é de total respeito e admiração por esse grupo que se destaca por levar nossa música, tocar no bairros… Sou um grande fã da tradição mantida”, diz Buguinha, que fez a “versão adubada”, como ele chama, de Olha o Mateus!. A música dá nome ao disco lançado pela orquestra em 2004. Buguinha (apelido de Christiano da Costa Botelho) é músico e produtor de Olinda, que já trabalhou com Nação Zumbi, Cordel do Fogo Encantado, Racionais MC’s, e Lucas Santtana, entre outros, e mantém o projeto Buguinha Dub – Vitrola Adubada.

06. Mauricéia – Erasto Vasconcelos / versão: Rica Amabis
Cantor, compositor e arranjador olindense, irmão do percussionista Naná Vaconcelos, Erasto Vasconcelos (1947-2016) acompanhou artistas da Tropicália e do Clube da Esquina em seu início de carreira, nos anos 1960. Morou em Nova York, Rio de Janeiro e Salvador; trabalhou com Hermeto Pascoal, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Alceu Valença e Zé Ramalho. Somente em 2005 lançou o primeiro disco solo, Jornal da Palmeira, produzido por Fábio Trummer (Candeeiro Records). Nesse disco, Mauricéia foi gravada com participações de Pupillo, Areia, Juliano Holanda & Maestro Ademir Araújo. Agora, a música é reprocessada por Rica Amabis, músico e produtor paulistano, criador de trilhas sonoras de filmes como O Invasor e Besouro, e já foi parceiro de artistas como Tulipa Ruiz, Céu, Otto e Fernanda Abreu.

07. Meio Ambiente – João Paulo e Barachinha / versão: Maquinado
Tio e sobrinho, Barachinha e João Paulo são dois mestres do maracatu de baque solto da Zona da Mata do norte de Pernambuco. Atualmente, Barachinha comanda o grupo Dourada de Buenos Aires e Mestre João Paulo, o Leão Misterioso de Nazaré da Mata. Mas os dois costumam juntar suas vozes em freqüentes apresentações ao vivo, em colaborações com Siba e o grupo Fuloresta, e em gravações, como as que fizeram para o disco do projeto Poetas da Mata Norte – do qual faz parte a faixa Meio Ambiente. Aqui a música é remixada pelo Maquinado, projeto de Lúcio Maia, cantor, compositor, produtor e guitarrista da banda Nação Zumbi.

08. Godê Pavão – Coco Raízes de Arcoverde / versão: DJ Dolores + Stank Criado em 1992 pelo músico Lula Calixto e composto por três famílias — Lopes, Gomes e Calixto – o grupo Samba Coco Raízes de Arcoverde cultiva uma tradição da cidade de Arcoverde (PE), o coco de trupe, variação do coco que é feito pela batida dos pés com o tamanco no chão de terra e acompanhado por triângulo, pandeiro, surdo e o ganzá. Já gravou três CDs. A música Godê Pavão dá título ao segundo deles, lançado em 2005. Para recriar a música, o sergipando DJ Dolores e seu projeto Stank, ao lado de Yuri Queiroga.

09. Senhor Rei Senhora Rainha – Maracatu Estrela Brilhante / versão: Turbo Trio – Originário da cidade pernambucana de Igarassu, o Maracatu Estrela Brilhante mantém vivos ritmos e danças nagôs praticados desde aproximadamente 1730 na região. O grupo é tão antigo que não há como precisar data de fundação. Ao longo do tempo, foi sendo passado como herança de geração a geração, na família de Dona Olga (1939-2013). Em 2009, o Estrela Brilhante recebeu o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco. Composta por Seu Neusa, Senhor Rei, Senhora Rainha está no álbum Maracatu Estrela Brilhante De Igarassu – 180 Anos, lançado em 2004. O Turbo Trio, que remixou a faixa, é um projeto carioca, que reúne o rapper B-Negão e os produtores Alexandre Basa e Tejo Damasceno.

10. Escadaria – Arlindo dos 8 Baixos / versão: Lucas Santanna
Arlindo Ramos Pereira (1942-2013), o Arlindo dos 8 Baixos, acompanhou Luiz Gonzaga por 22 anos. Antes de viver da música, porém, foi lavrador e barbeiro, embora tocasse os 8 baixos desde criança. Sua versatilidade o permitiu acompanhar, além do Rei do Baião, desde artistas populares, como Waldick Soriano, até o experimental Hermeto Paschoal. Ao mesmo tempo, registrou trabalho solo em discos como O Mestre do Beberibe, Forró para 500 anos e O Artesão do Forró. Em Mauritssdatd 2, ele aparece tocando um clássico da sanfona, Escadaria, de Pedro Raymundo. E o cantor, compositor e instrumentista Lucas Santtana assina a versão remixada. Autor de sete CDs, o artista baiano tem músicas gravadas por Marisa Monte, Arto Lindsay e Céu e temas que integram várias trilhas sonoras do cinema brasileiro.

Serviço:

Acesse o disco através das plataformas digitais:

Spotify: https://open.spotify.com/album/0OtZyV8Xhkwx4lS4MzRPji

Deezer: https://www.deezer.com/en/album/81479952

iTunes / Apple Music: https://itunes.apple.com/album/id1446206547